quinta-feira, 16 de abril de 2015

Tarde demais...


Que foto!

Uma P&B que o tempo cuidou de amarelar meticulosamente, tornando o fundo um espetáculo que vai do degradee em tom ocre na base até um "amarelo desmaiado" (homenagem a Eurico Santos e seus pássaros) do meio da foto para cima.

A desfocagem do fundo e a ausência de pontos de referência tornam a imagem misteriosa e intrigante. Não há qualquer mancha no céu que indique a presença de nuvens, assim como a ausência do piso dá uma sensação de que o modelo está sobre um monte ou pequena elevação acima do nível do fotógrafo.

O olhar parece estar acima da linha do horizonte e o sorriso orgulhoso dá um ar casual e espontâneo à imagem, confundindo ainda mais o observador.  

Uma mancha mais escurecida que sobe da esquerda para direita na altura da coxa e continua entre as pernas morrendo no canto direito é a única referência que faz lembrar um morro ao fundo.

Destacando da mancha ocre, algumas outras manchas acima do joelho direito parecem ser nuvens, e nada há mais que forneça qualquer pista sobre onde a foto foi feita.

As calças largas eram comuns nos anos 50 e, sobre ela, uma camisa larga com dois bolsos, um deles, o direito, com um peso que, provavelmente, eram cigarros, apesar da pouca idade do modelo.

As mangas longas desabotoadas desnudam os pulsos sem adornos, assim como o pescoço com gola aberta tipo alfaiate com apenas os dois botões de cima abotoados. Os demais botões desabotoados, fazem aparecer a ponta da samba-canção e envolvem a máquina fotográfica apoiada na alça de couro.

O chapéu de palha completa a composição, cuja aba não esconde o rosto iluminado pelo sol, deixando sombras recortadas em toda a lateral direita, de cima a baixo, em curvas e formas realmente belas.

A corda que prende o chapéu desce de sua lateral e envolve o pescoço, sumindo no meio da sombra de maneira bastante tênue.

O pescoço lembra muito o do meu filho e a Perfex Fifty-Five está na minha estante.

Queria muito saber onde e como foi feita esta foto, mas agora é tarde. Tarde demais...

2 comentários:

Anônimo disse...

realmente, tem coisas que devem ficar, esta foto captou o infinito da vida humana....vamos sumir do planeta, mas ainda sim não foi um momento perdido.

foi um momento eternificado.

kalon.

Bayer // Old Dog disse...

Tenho um álbum inteiro delas que também agora é tarde demais para perguntar...

Excelente post.