quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Onde está a sua Shovel?


Andei lendo no livro do Donny Petersen a produção das Sportster, Servicar e Big Twins de 1962 até 2007. E bateu uma curiosidade. Das que foram produzidas ano após ano, quantas Shovelhead vieram para o Brasil?

Por exemplo: em 1966, foram produzidas 13.300 unidades dos três modelos. Um salto enorme em relação ao ano anterior quando as BT eram representadas pelas Panheads, com 3.700 unidades.

Esses números parecem piada perto das 350.000 unidades vendidas em 2007, 95 vezes mais que em 1965. E o faturamento da HD também foi 187 vezes mais alto, mas aí já é outra história.

Quantas shovel tem no Brasil? 100? 200? 500? Na memória, lembrei de umas 30 ou 40, incluindo a belezura da foto acima. Estava no TWB II.

E a sua? Onde está?

Se tiver uma foto, manda prá cá. infernaismotorcycles@gmail.com

5 comentários:

wolfmann disse...

Além das que estão com você só conheço mais uma: é uma 72 de amigo que toma cerveja comigo no Rota do Leblon.

Azul, restaurada pelo Tino, ganhou prêmio na edição de 2011 do RHD.

Anônimo disse...

Eu conheço 4 delas. 3 delas tenho contato com os donos. A quarta conheço o dono,mas não lembro o nome dele.

Pedrão disse...

Sei que não são muitas, mas elas estão por aí. E gostaria de conhecê-las.

Quando puderem, peçam aos "shovelheaders" que enviem umas fotos para publicarmos no blog.

Abs,

Pedrão

Everton disse...

Harley AMF não rola.. muito problema... vinham de fabrica vazando oleo.

Pedrão disse...

Fala Everton,

De fato, a aliança entre a HD e a AMF gerou uma crise de qualidade até hoje lembrada. Mas é preciso entender que ela foi gradativa, piorando com a diversificação de produtos sem nada a ver com a marca.

A AMF entrou porque a Harley estava quebrada, e ficou de 1969 até 1981. Salvou a HD da falência. Muita moto boa foi produzida no período e exemplos não faltam de shovel rodando até hoje com mais de 1 milhão de quilômetros nas costas.

Minha Dyna 2008 veio com os rolamentos estragados, paralamas enferrujados e com bolhas. Caguei. Mas é uma merda constatar que a qualidade de hoje é ainda pior, principalmente quando se considera a tecnologia disponível.

Abs,

Pedrão