quinta-feira, 5 de setembro de 2013

"Seu" Joel Ferramenteiro

Hoje passei o final da tarde com um dos ferramenteiros mais antigos de que tenho notícia. O "Seu" Joel.

"Seu" Joel tem 76 anos de idade e trabalha há mais de 60 anos como ferramenteiro, sendo 50 deles em São Cristóvão, no Rio. Até aí, nenhuma novidade, exceto pelo fato de que, enquanto fazia o serviço e conversava comigo, agachou e levantou diversas vezes, manejou e levantou sem bufar a morsa da furadeira de bancada com uns bons 5 quilos por mais de meia hora, esmerilhou, usou o torno, morsa, segueta, uma pá de ferramentas e ainda parava tudo para atender ao telefone.

Isso no final de uma quinta-feira que tinha começado para ele às 6 horas da manhã, como todos os dias. Quanta vitalidade!!!

"Seu" Joel é foda. E não usa óculos. Como consegue?

Bem... no meio do papo, quando eu disse que estava reformando duas Harleys de 1966 e 1969, ele parou com o arco de serra e começou a falar de duas motos que teve e que lhe deram muita alegria. Sim senhores, "Seu" Joel foi dono de uma Indian 1946 e uma Harley que ele não lembra sequer a década, mas que tinha umas molas na frente, junto com o farol.

Daí prá frente só deu assunto do século passado, falta de peças, reforma nas motos etc, e posso te dizer que foi muito bom.

Isso me fez lembrar uma postagem que li certa vez no blog do Bayer (Old Dog Cycles) que reproduzia uma opinião do Hadys do Jurassic Machines. Procurei, achei e não tenho nada a acrescentar. É isso aí.

"A principal diferença é que qualquer veículo antigo é uma máquina de fazer amigos, se você pára com uma moto de zilhões de dólares em um posto de gasolina, o máximo que vai conseguir são dois piolhos em uma Hornet te seguindo para roubar a moto. Se você para com uma velhinha, junta gente, vem criança trazendo os pais, pais trazendo os filhos, idosos trazendo suas histórias, todos puxam assunto, conversam, perguntam, contam causos. Para motoboy do seu lado no semáforo e puxa assunto, não traz inveja, traz admiração. Não há desvalorização como as novas. Quem compra uma zero, um ano depois tem uma usada, quem compra uma antiga, um ano depois tem uma mais antiga. Não sei se o que escrevi é explicação ou justificativa, mas é o meu ponto de vista."
http://olddogcycles.com/2010/11/antigas.html


O "Seu" Joel...


A "Sua" oficina...


E o desenho que ele fez do paralamas reformado da Indian 46 enquanto me explicava como fez o suporte que prendia nas bengalas. Deu para entender?

Valeu o dia!

5 comentários:

Anônimo disse...

Personagens como o seu Joel,salvam o dia daqueles que apreciam a arte de manter viva suas paixões.

Lobo RS

everton disse...

Cara... emocionante. e muito.

Anônimo disse...

Conheço ele. Fiz muita peça que faltava pro meu jipe 1942 com ele ! Sem contar tbm que já deu vida a muita peça que levei só no desenho!!! Pessoas como ele são raras hoje em dia!

Alex63

Pedrão disse...

É mesmo uma figura... Ele tem ferramentas de mais de 50 anos guardadas dentro de um cofre. Segundo ele, precaução. Um dia volto lá e peço para vê-las.

Lobo Solitário Moto Grupo disse...

Saúde & Paz.
Pedrão, vendo este post....meu Pai esta com 88anos hoje.
Em 92, Eu estava reformando uma vespa 150 Super. O pedal de partida original quebrava muito.
Meu pai fez um de aço, idêntico, porem um pouco mais pesado.
Ele é ferreiro (nome desta profissão na minha região) ou ferramenteiro. Pouco depois vendi esta Vespa, creio que se ela existe ainda, deve estar com este pedal até hoje.
Abraços.