quinta-feira, 25 de julho de 2013

Vazamento do óleo do câmbio

O câmbio de 4 velocidades iniciado com as Knuckleheads e produzido até as últimas Shovelheads sempre foi considerado indestrutível pelos especialistas. (Só de rodar com o Toddynho mostrado na postagem anterior já demonstra essa capacidade de aguentar tranco).

Contudo, também faz parte da mítica deste câmbio deixar vazar pequenas gotas de óleo, deixando no chão uma poça que, junto com o óleo da corrente, acaba formando um poção.

Aliás, a grande quantidade de sujeira ao redor do pinhão já indicava algo mais que a lubrificação da corrente.

As soluções vão das mais complicadas às mais simples, dependendo da origem do vazamento. Se o vazamento for no eixo, você pode fazer um novo embuchamento. Se no espaçador, vi alguns caras sugerindo usinar um sulco no interior e encaixar um o-ring.

Se você se conforma com algumas gotas perdidas, você instala um retentor novo e um o-ring de cortiça no espaçador e desencana. Tomara que este seja o caso da Dercy...


Percebi o vazamento da pior forma: perdendo óleo novo.


Minha primeira impressão é que o vazamento vinha do retentor. Cheguei a comemorar. Não consegui ver o óleo descendo do eixo mas, depois da euforia, percebi que existe uma grande possibilidade de que não tenha enxergado o filme de óleo escorrendo.

Mas, o que mais me chamou a atenção foi a ausência da chaveta que trava o eixo. Procurei pelo chão afora, no macaco, nas reentrâncias da moto e nada. Não lembrava sequer de tê-la visto. Concluí que ela nunca esteve na moto. Seria essa a origem do vazamento?


O retentor era um Sabó 00128-BR, já trocado em alguma ocasião no passado. Vou substituir por um da Vedalone. Também não vi o o-ring de cortiça que fica sobre o espaçador.

Talvez com um o-ring de cortiça, um retentor e uma chaveta nova eu consiga estancar o vazamento. Ou pelo menos, deixar umas míseras gotas de óleo no chão para que saibam que o Pedrão passou por alí.

2 comentários:

AQUELINO disse...

Sr. Pedro, Parabéns pelo seu blog. Sou um grande fá das harley. Já tive outras 5, todas seminovas, injetadas, e no momento tenho uma shovel 72 em reforma. As suas informações são de grande valia. Moro em Santa Maria-RS, e aqui não tem ninguém especializado em harley. Estou catando na internet informações para reformar a minha. No momento um grande problema é transferência da moto. Trouxe a um ano ai de São Paulo, estava com o motor desmontado. O detran do RS, exigiu a moto com o motor funcionando, o que pude somente fazer agora, com problemas de ajustes. E o processo foi de transferência foi aberto no ano passado, e o detran de São Paulo, em janeiro de 2013, criou um bloqueio administrativo. Resumindo, tenho grande alegria de estar reformando a shovel head, mas ta me dando um trabalhão. Atenciosamente, Aquelino Gonzalez. email:aquelinog@uol.com.br

Pedrão disse...

Aquelino, obrigado pelo comentário e pelas visitas ao blog. A documentação é um dos grandes problemas das velhinhas e não pense que só você enfrenta esta situação.

As minhas estão Ok mas conheço gente que resolveu com um bom despachante.

Espero que consiga resolver tudo e botar prá rodar com segurança.

Obrigado pela visita ao blog.

Abs,

Pedrão