terça-feira, 21 de maio de 2013

Força estranha


Outro dia o Rio viveu momentos de caos. Um pé-de-vento de 95 Km/h derrubou árvores, matou gente, destelhou casas e parou o trânsito. Aqui em casa, o vidro da sala com míseros 4 mm espatifou. O vidraceiro disse que nunca trabalhou tanto.

Em Moore, Oklahoma, os ventos atingiram gigantescos 320 Km/h. Sem noção. A matéria virou papel nas mãos do vento. Sem noção. Sem...

RIP

Nenhum comentário: