sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Escapamento

A shovel está ainda com os escapes originais. Aliás, como quase tudo nela, apesar de uns parafusos, arruelas, cortes e soldas adaptados por seus antigos donos ao longo dos seus mais de 40 anos de estrada. 

Faz parte da mágica que ronda uma moto antiga, descobrindo os truques usados pelos mecânicos do passado para deixar a moto em condições, mesmo sem recursos para isso. É bom lembrar que nas décadas de 70, 80 e boa parte de 90 não existia eBay, computadores, celulares, internet disponível, e as peças eram raras de se encontrar.

Bem, voltando aos escapes de Dercy, trata-se de um "2 x 1" com diâmetro de 1-3/4 de polegada, composto de 5 segmentos:
1) a saída do cilindro dianteiro;
2) a saída do cilindro traseiro;
3) o "flat" dianteiro que passa por baixo do motor;
4) o "Y" que une as duas saídas;
5) a ponteira.

A ideia é aproveitá-los, somente substituindo a ponteira original com abafadores, por uma "cotó" aberta. Então, o negócio é deixar a preguiça para outra hora e ir prá garagem.


A abraçadeira que prende o segmento de saída dianteiro estava toda enferrujada, mas dá para recuperar. O parafuso/porca vão pro lixo.

 

Estranhei a espessura da junta do segmento de saída do cilindro traseiro.


Soltei o "flat" intermediário do suporte. O "flat" é um tubo achatado que passa por baixo do motor e, neste caso, está soldado com o "Y" logo após o suporte, à esquerda da foto. 


O aspecto geral não é ruim, mas precisa de uma boa limpeza tanto por dentro quanto por fora.


Olha aí: duas juntas, juntas. Por isso achei estranho o flange com aquela junta grossa. 


Por dentro tinha muita fuligem acumulada. Quase uma arteriosclerose. Usei uma escova de aço para tirar a fuligem grossa.


A mesma escova para tirar a craca presa nos flanges.


Usei uma lixa-ferro 220 para arrematar a limpeza dos flanges.


Depois de um bom banho de gasolina, boa parte da sujeira de dentro do tubo saiu com essa escova de nylon.


Fiquei impressionado com o resultado do CAR 80 quando fiz a limpeza final da câmara de combustão. O troço dissolve os depósitos com uma ação descarbonizante, mas a dica é deixá-lo agir por pelo menos 20 minutos. Usei no escape também e deu uma arrematada na limpeza.


Depois de limpo, uma lavada com detergente deixou os escapes como novos.


Agora é enrolar uma thermotape de titânio. Já viu o que vai virar essa monstra, né?

3 comentários:

Luciano disse...

E vamu q vamu!!!

wolfmann disse...

Essa remontagem vai merecer um filme.

Pedrão disse...

Velhinho, na verdade um longa metragem se considerarmos que ainda estou no inicio do processo. Tem muita coisa pra fazer e na medida do possível vou registrando. Tenho certeza que vai servir para alguém um dia.