sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Dia de Garage II

Logo cedo tirei a lona de cima da Dercy para acabar de depená-la. A ideia hoje era tirar fora os paralamas, as espadas, o carburador e o dínamo, e depois fazer uma limpeza do motor que tinha partes com camadas de 3 mm de óleo, graxa e sujeira.

Comecei com o paralamas dianteiro, que saiu mole. Quatro parafusos, dois de cada lado, afixados na bengala, e mais um parafuso do fio da lanterna dianteira que transfixa a lata em sua lateral.
  

Me animei e parti para o paralamas traseiro. Também foi tranquilo, exceto pelo chicote preso há décadas no mesmo lugar e sem conectores visíveis. Fui obrigado a cortar os fios para soltá-lo.


A coisa já andou mexida por aqui. Dos quatro parafusos que prendiam o paralamas, três eram de 1/2", sendo um cromado, e o último tinha 17 mm. Todos muito enferrujados. Um lado com coxim segurando a espada e o outro sem. Ou seja, tudo normal. rsrs


Para retirar as espadas tem que tirar fora os amortecedores. O copo do amortecedor direito está preso mas, mesmo assim, consegui tirar os dois e as espadas. O aspecto é bom, apesar das ferrugens normais de uma moto carioca. Mas os coxins merecem ser substituídos.


O carburador saiu mole. Original HD com Bar and Shield e tudo. Parece íntegro, mas a borracha que liga no coletor está toda rasgada. Tenho a intenção de colocar um S&S Super E. O problema é que para fazer isso precisarei de novos cabos para o acelerador (aceleração e retorno) pois este carbura funfa com um só cabo. Também precisarei trocar o coletor (manifold). Vamo$$$ ver.



Quando fui tirar o dínamo, ví que antes precisava limpar o óleo depositado sobre o motor. Usei um desengraxante em pasta e depois querosene e grande parte da sujeira foi embora. Vai facilitar o trabalho daqui por diante.

Curiosamente, só agora a moto começa a ficar do jeito que eu queria...



21 comentários:

wolfmann disse...

Volta com o dínamo, bateria, carburador e banco. Pega um tanque de Sportster e vai uma volta por aí...

Pedrão disse...

Nem fudendo... ainda tem muita coisa prá fazer. Rodar eu rodo com minha FXD todos os dias. Agora... um tanque peanut...

Pedrão disse...

O problema de um tanque peanut é o velocímetro e o painel. Teria que deslocá-lo para a lateral ou para o guidão, mas gosto do design do original e não quero perdê-lo. Por enquanto, vou manter o tanque original.

Hadys disse...

E mantenha também esse carburador CV que já é um upgrade do Keihin original, desencana do Super E, vai gastar dinheiro e passar o resto da vida tentendo acerta-lo. Se quiser um ar mais antigo, use a base do filtro da sportster com um filtro KN lavável e a capa de filtro da Shovel, é tudo plug and play. Mas se for insistir no S&S aceito o CV de presente. Kkkk

Abçs

Luciano disse...

Pedrox, o San adquiriu um paralama traseiro no último garage sale, aquele lá na barra. Acredito que era pra Dercy. Ele é estilo da nighttrain só q mais fino. Tá aqui em casa servindo de vaso de planta. KKKK. Vê com o San.

A Dercy Infernais tá voltando a forma...

Pedrão disse...

Valeu Luciano, mas SE for colocar outro paralamas que não o original, optarei por um curto. Aliás, vendeu aquele da Dyna? De repente meto a makita nele.

Luciano disse...

Tá aqui com o seu nome...hehehe

Pedrão disse...

Mestre, esse carburador me pareceu estar em boas condições. O Paulo Leal, inclusive, andou acertando ele. Vamos ver. O problema é que o S&S é caro pracaraleo e a troca seria somente para após toda a reforma.

Cmte.Lobo disse...

Cara, to acompanhando o seu desmanche e já imaginando quando começar a fazer o mesmo na minha 66. Vai abrir o motor??

Pedrão disse...

Comandante, comprei a moto para colocá-la em uso confiável. De cara, encontrei vazamento de óleo nos parafusos do cabeçote, o que me obrigará a retirá-lo para trocar as borrachas de vedação. Já comprei as juntas e assim que chegarem abro o cabeçote.

O que está me intrigando são as falhas na aceleração seguidas de engasgos, estouros e cuspes pelo coletor. O Helmut disse ao San que poderia ser a válvula do escape. Dali para baixo não pretendo mexer.

Vai reformar a sua no hangar mesmo?

wolfmann disse...

se for deslocar o velocímetro, já pensou em usar a idéia da Blackline, com dois semi-guidões partindo das buchas do riser e deixando o velocímetro no meio da mesa?

Pedrão disse...

Velhinho, eu não quero abrir mão do velocímetro original. O design dele é incrível e os sinais de idade o valorizam ainda mais. No caso de um peanut, o deslocamento seria obrigatório, mas aí eu teria que pensar em um suporte especialmente desenhado para este velocímetro.

Mas a ideia é muito boa mesmo.

Cmte.Lobo disse...

Pedrox, Pensamos parecido, tbm quero a minha para o uso normal, e para isso obviamente tenho que confiar na bicheira, e apesar delas estarem funcionando não temos a menor ideia do estado e procedência dos componentes, portanto, e considerando os 46 anos transcorridos com boa parte deles em época onde as importações eram proibidas e não havia componentes para substituição, é razoável supor que estão cheias de gatilhos e componentes adaptados, então penso ser fundamental uma intervenção mais aprofundada para nos tranquilizar, ou pelos menos para traçar um plano de recuperação a médio prazo.
Como sugestão, de cara já providencie a substituição dos rolamentos das rodas e a revisão dos freios. No motor, faça um diagnóstico medindo a compressão dos cilindros, assim já vai ter um direcionamento para a causa dessas falhas que relatou e o estado de saúde dos anéis e válvulas. Avalie as velas, se estiverem oleosas e juntamente com um psi abaixo da especificação, indica um desgaste nos anéis de segmento. Velas normais ou com fuligem negra e persistindo uma leitura de psi baixo, indica má vedação de uma das válvulas...enfim, o próprio motor vai dizer para vc qual o problema que ele tem.
Não deixe de revisar o conjunto de ignição, dando atenção especial ao dispositivo de avanço centrífugo (localizado abaixo da mesa do platinado), verificando o estado das molas e, caso suspeite que não sejam as adequadas para o modelo, substituindo-as. Verifique sob esse mesmo critério o platinado e o condensador, além de checar o ponto de ignição estático e dinâmico e a resistência da bobina de ignição. Fazendo isso esses sintomas deverão ser eliminados, senão, parta para o conjunto de alimentação (tampa dos tanques, tanques, torneira, tubulação, carburador e filtro)...mas depois falamos desses itens, rs
Enfim...parece muita coisa mas não é, tudo fácil e gratificante de fazer e o resultado vale a pena.
abs

Pedrão disse...

Commander, tá anotado. Valeu as dicas. De fato, há 30 ou 40 anos atrás os caras penavam para conseguir peças para as motos. A garagem lá de casa abrigou um Mustang Hard Top 1969 por 3 anos aguardando peças, que nunca vinham e invariavelmente eram substituídas por peças de Mavecos.

Tentei buscar um histórico da moto e soube que Dercy foi de um Presidente de um MC durante anos e depois de uma senhora de Niterói. Segundo o Alex, mecânico da Rua Ceará, ela ficou uns 5 anos parada em uma garagem e depois o Pamplona levou para ele fazer a moto andar. Ele não abriu o motor. Apenas colocou ela rodando, arrumou um freio dianteiro meia bomba e tchau!

Depois que o San comprou a moto, ele a levou ao Paulo Leal que fez o teste de compressão e ajustou o carburador. Segundo o Paulo, a leitura diz que o motor está com boa compressão. Bom sinal... mas que não afasta novo teste, pois agora tem novo dono e quero ver isso de perto.

O restante, vou ter que ir aos poucos fazendo o check list.

Valeu!!

Anônimo disse...

O paralama bobtail do San, cortado curtinho e levemente inclinado tipo as bobers japas, iria ficar irado.

Ta mandando bem na restauração.

abs,
Rafael

Filipec disse...

Show, gosto desse tipo de postagem!
Abçsss

Cmte.Lobo disse...

Pedrox, A vida pregressa de moto velha é igual a salsicha e o passado de mulher, se vc souber de que são feitas vc não come, então esquece de quem ela foi, e assegure-se de como ela ficará a partir de agora, não confie em nada que te disseram e revise tudo. abs

Pedrão disse...

Comandante, é como diz Quintana: o passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente.

Estou com vontade de abrir o motor este fds. Tirar fora o cabeçote e o Rockerbox... vamos ver.




Pedrão disse...

Roteiro:
1) desengatar o suporte superior do motor situado do lado esquerdo;
2) Tirar os escapes;
3) Tirar o carburador;
4) Tirar o manifold;
5) Tirar os cabos de velas;
6) Tirar as capas das varetas;
7) Expor os pushrods;
8) Fechar a vávula de escape;
9) Desparafusar a base do cabeçote;
10) e por aí vai...

Cmte.Lobo disse...

É isso aí!!
Não esquece de substituir as juntas e retentores para não ter que fazer o mesmo serviço duas vezes.

Badá disse...

Este carbura era de outra moto do Pamplona.