sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Nova mexida no SESPT

No post anterior comentei sobre as modificações que fiz no mapa 176ST002 da Harley. Depois de rodar cerca de 1200 Km com este mapa, resolvi mexer novamente para ver se tirava mais da bagaça.

Na primeira mexida fiz o seguinte:

1) Aumento da VE (eficiência volumétrica) dos cilindros dianteiro e traseiro em 10% em todas as células;
2) Aumentei a mistura ar + combustível reduzindo a AFR em 1 ponto;
3) Aumentei o combustível para partida em 8 ms acima de 64 graus
4) Reduzi a marcha lenta para 800 RPM a partir de 48 graus. Abaixo disso, deixei entre 1200 e 900 RPM;
5) Reduzi o combustível quando da desaceleração.

Agora, nesta nova mexida, tunei a moto com as seguintes configurações:

1) Aumentei a VE em mais 3%. O aumento da VE proporciona maior injeção de combustível na mistura.
2) Reduzi a AFR de 1 para 0,4 uma vez que eu já tinha aumentado a VE. (nestes valores a regulagem continua em open loop).
3) Ajustei o combustível para partida entre 4 e 8 ms, dependendo da temperatura, mantendo o do mapa da HD nas temperaturas mais baixas;
4) Deixei a marcha lenta entre -16 a 48 graus na configuração original. A partir daí fui reduzindo até 800 RPM. 
5) Reduzi ainda mais o combustível na desaceleração para minimizar os backfires.

Resultados:

Estou chegando perto. A moto chega a 120 Km/h sem torcer muito o cabo e à quinta marcha com tranquilidade. As arrancadas de média velocidade estão muito mais fortes e a moto manteve-se bem equilibrada tanto nas baixas quanto na alta. A manutenção da rotação do mapa da HD em temperaturas frias fez com que a moto tenha taquicardia assim que acionada, mas logo ela vai baixando a RPM até os 800.

Por final, reduzi um pouco mais os backfires, mas... eles ainda continuam lá.

6 comentários:

wolfmann disse...

o segredo para terminar os back fires está na decel enleanment.

wolfmann

Pedrão disse...

Wolf, os backfires são uma consequência da mistura rica. Ao aumentar a eficiência volumétrica injetei mais gasolina, por isso reduzi à metade a concentração de combustível na mistura em relação à mexida anterior. Entretanto, não foi o suficiente.

Também reduzi o combustível na desaceleração (decel) mas igualmente não foi o suficiente. Na próxima mexida, vou ousar um pouco mais no decel. Aliás, quero aumentar a VE dos dois cilindros e zerar a AFR prá ver como é que fica.

Abs.

wolfmann disse...

vai postando que essas experiências servem para muita gente.

Pedrão disse...

E quando a moto explodir? Posto também? rsrs
Valeu Wolf,
Pedrão

Guima disse...

Se a minha não explodiu, fica tranquilo. Já fiz uns 11 mapas testando de tudo na 883. A melhor coisa é saber usar o SMART TUNE. O meu mapa atual está muito bom, na minha opinião. Anda muito e não bebe tanto. Se andar tranquilo ou em estrada, faz uns 21/22km/l. Esse fim de semana vamos marcar aquele bate papo sobre o SMART TUNE.

Pedrão disse...

Guimex, uma coisa que tem me incomodado é mexer na tabela AFR e, com isso, deixar o sistema em "open loop". A leitura das sondas de O2 é uma vantagem que não quero perder. Por isso, minha próxima mexida, vai por aí.

Agora... andei lendo sobre o Smart Tune e ví que, além de simples, é bastante vantajoso porque considera a real condição de sua moto (filtro + escape). Vamos marcar uma mexida sim e você pode nos ajudar com sua experiência. Chamamos o Rocha tbém.

Valeu.